segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

Com linha 2, metrô deve receber o dobro de passageiros em Salvador

05/12/2016 - G1 BA

Novo trecho foi inaugurado na manhã desta segunda-feira (5).

Transporte deve chegar até Pituaçu em maio de 2017.

Juliana Almirante

Estação do metrô de Salvador no trecho do Detran. Bahia (Foto: Juliana Almirante / G1)
Estação do metrô de Salvador no trecho do Detran. Bahia (Foto: Juliana Almirante / G1)
Estação do Detran faz parte da linha 2 do metrô, que começou a operar nesta segunda (Foto: Juliana Almirante / G1)

As três estações da linha 2 do metrô de Salvador que foram inauguradas nesta segunda-feira (5) devem dobrar a operação de passageiros, segundo previsão do governo do estado. A média de passageiros que o trecho 1 recebe por dia é de 50 mil passageiros e, com o início da nova linha, esse número deve chegar a 100 mil.

"A inauguração da linha 2 é o passo mais importante para consolidação do metrô de Salvador. A etapa dessas três estações tem investimento de 510 milhões no total. Até final de 2017 vamos chegar com a linha 2 até o aeroporto", disse o secretário de Desenvolvimento Urbano da Bahia (Sedur), Carlos Martins.

A previsão é de que o próximo trecho da linha 2 comece a operar em maio de 2017, com a abertura das estações de Pernambués, Imbuí, CAB e Pituaçu.

Para facilitar a integração entre metrô e ônibus, o governo promoveu a redução de imposto no combustível.

"Publicamos decreto desonerando o diesel em 1%. Vamos dar mais 1% até o final do mês [dezembro] para conseguirmos avançar em mais linhas de ônibus", disse o governador Rui Costa.

As três primeiras estações abertas na linha 2 já contam, desde a inauguração nesta segunda-feira, com integração com 45 linhas de ônibus.

As estações Acesso Norte 2, Detran e Rodoviária integram um trecho de metrô de 2,2 km. Somadas com os 12 km da linha 1, o transporte tem agora 14,2 km, aproximadamente a mesma extensão da Avenida Paralela, uma das principais da capital baiana.

Antônio Leão Pereira, de 62 anos, saiu da Rua Carlos Gomes, no centro da cidade, onde mora, para ir até a Estação da Rodoviária. Ele destaca o tempo de deslocamento menor para fazer o trajeto por meio do metrô. "Fui andando até a Estação da Lapa, fui até a Acesso Norte 2 e vim pra cá. Diminui muito o tempo em relação ao ônibus", diz ele, que tem direito a gratuidade no metrô por ter mais de 60 anos. Nos ônibus da capital baiana, pessoas com mais de 65 anos também têm gratuidade.

A autônoma Maria da Paz, 42 anos, também já passou pela linha 2 do metrô nesta segunda. Com a filha Ana Beatriz, Maria pegou o transporte na região do Iguatemi e vai seguir até a Lapa. "Finalmente [a estação Rodoviária] ficou pronta. Agora espero que termine o resto pra desafogar ainda mais o trânsito que está muito engarrafado na cidade", disse Maria da Paz.

O ponto de encontro da linha 1 com a linha 2 é a Estação Acesso Norte 2. Portanto, o passageiro que sair da Estação Pirajá, da linha 1, e quiser ir para o Detran, por exemplo, deve passar pelo Acesso Norte 2 para então ter acesso a linha 2. O acesso não precisa do pagamento de nova passagem.

A integração entre ônibus e metrô é feita por meio de um cartão recarregável. A tarifa de R$ 3,30 permite que o passageiro pague o mesmo valor para embarcar nos dois transportes, pelo período de duas horas.

A linha 2 tem o mesmo horário de funcionamento da linha 1, das 5h à meia-noite, inclusive em feriados e nos finais de semana. No metrô, os passageiros ainda podem utilizar o cartão da CCR Metrô Bahia, SalvadorCard e Metropasse.

A linha 1 começou a operar em junho de 2014 e conta com as Estações da Lapa, Campo da Pólvora, Brotas, Acesso Norte, Retiro, Bom Jua e Pirajá. O planejamento do governo é estender a linha 1 em 5,5 km, levando o transporte até o bairro de Águas Claras.

A estimativa é que a linha 2 do metrô, que vai até o aeroporto de Salvador, tenha 20 km de extensão e 12 estações. O projeto prevê ainda a expansão do sistema metroviário até Lauro de Freitas, completando 23 km e 13 estações

14 anos de espera

O metrô começou a ser construído no ano 2000 e deveria ter ficado pronto três anos depois; em abril de 2013, o governo da Bahia, na administração de Jaques Wagner (PT), assumiu a gestão da obra, que até então era da prefeitura da capital, sendo iniciada com Antônio Imbassahy, que era do PFL e hoje integra o PSDB.

Catorze anos após o início das obras, a Linha 1 do metrô de Salvador começou a operar em 11 de junho de 2014. Atualmente, ela conta com 12 quilômetros de extensão, entre os terminais da Lapa, Campo da Pólvora, Brotas, Acesso Norte, Retiro, Bom Juá e Pirajá.

Com 20,7 quilômetros de extensão, a linha 2 do metrô terá 12 estações: Detran, Rodoviária, Pernambués, Imbuí, CAB, Pituaçu, Flamboyant, Tamburugy, Bairro da Paz, Mussurunga e Aeroporto. Estão previstas ainda a construção de quatro terminais de integração - Acesso Norte, Rodoviária, Pituaçu e Aeroporto - e a reforma de outros dois - Rodoviária Norte e Mussurunga.

http://g1.globo.com/bahia/noticia/2016/12/com-linha-2-metro-deve-receber-o-dobro-de-passageiros-em-salvador.html

domingo, 4 de dezembro de 2016

Linha 2 do metrô, até a rodoviária, terá integração com ônibus urbanos; confira mudanças

04/12/2016 - Correio 24h

Confira lista das 45 linhas que terão integração com o metrô na região do Iguatemi

Da Redação (redacao@correio24horas.com.br)

A linha 2 do metrô de Salvador, que liga a Estação Acesso Norte à rodoviária, já começa a operar nessa segunda-feira (5) integrada ao sistema de transporte dos ônibus urbanos. De acordo com a Secretaria Municipal de Mobilidade (Semob), 45 linhas que passam pela região do Iguatemi vão contar com a integração, que é identificada por um selo na dianteira do ônibus. 

Essas linhas fazem parte dos 256 roteiros que já alimentam a linha 1 do metrô, que liga a Estação da Lapa à Estação Pirajá e tem funcionado com integração urbana e metropolitana desde janeiro. A previsão é que com a conclusão das obras e a liberação das plataformas de embarque e desembarque de ônibus, a integração entre os modais seja ampliada.

Para fazer a integração na região do Iguatemi, no entanto, os usuários precisarão acessar a estação do metrô pelas passarelas, após chegar em um dos pontos de ônibus provisórios da área. Isso porque as plataformas do terminal de ônibus (antiga Estação de Transbordo) ainda não foram concluídas. Após a conclusão da obra, haverá  ampliação do número de linhas integradas. 

A Semob divulgou alguns roteiros para ilustrar como o sistema integrado pode facilitar o dia a dia de quem depende do ônibus e agora passa a contar também com o sistema metroviário na região do Iguatemi. Quem mora em Cajazeiras e tem como destino final a Pituba, poderá pegar um ônibus até a Estação Pirajá, acessar o metrô, descer na Estação Acesso Norte e ingressar na Linha 2 até o Iguatemi, pagando até esse ponto apenas uma passagem. Quem quiser sair do Iguatemi em direção à Ribeira poderá utilizar o metrô saindo da Estação Rodoviária  até a Lapa e de lá pegar a linha Lapa x Ribeira sem nenhum custo a mais.

Segundo Fábio Mota, da Semob, mais de  50% das linhas que compõem o sistema de transporte coletivo urbano já se encontram integradas ao metrô.  “Iniciaremos uma importante etapa de estudos sobre o comportamento do usuário dos sistemas e a nova dinâmica da mobilidade na cidade, para, a partir das observações, promover os ajustes necessários”, explicou.

A Linha 2 compreende as estações Acesso Norte 2, Detran e rodoviária. O trajeto é de cerca de 2,2 km. A tarifa será a mesma que já é cobrada hoje - R$ 3,30. De acordo com a assessoria da CCR Metrô, que administra o sistema, o usuário que trafega pela Linha 1 e deseja ir para alguma estação da Linha 2 terá que desembarcar do trem para fazer a baldeação, saindo da plataforma 1 para a plataforma 2 da Estação Acesso Norte.

sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

Metrô funcionará até a Estação Rodoviária a partir de segunda (5)

01/12/2016 - Correio 24h 

A integração do sistema com os ônibus, no entanto, só deve ser implantada no primeiro semestre de 2017.

redacao@correio24horas.com.br

O metrô começará a funcionar até a Estação Rodoviária já na próxima segunda-feira (5), ampliando seu trajeto. As três primeiras estações da Linha 2 do metrô, Acesso Norte 2, Detran e Rodoviária, estarão operando com funcionamento pago, mas ainda sem integração com os ônibus. De acordo com o secretário de Mobilidade (Semob), Fábio Mota, as linhas de ônibus serão integradas com o sistema no primeiro semestre de 2017.

A integração entre os trens das Linhas 1 e 2 do metrô será feita na estação Acesso Norte 2. De acordo com a assessoria da CCR Metrô, que administra o sistema, o usuário que deseja ir para alguma estação da Linha 2 terá que desembarcar do trem para fazer a baldeação, saindo da Plataforma 1 para a Plataforma 2, pegando um novo trem para seguir o trajeto.

Na sexta-feira (10), o secretário se reúne com o Governo do Estado para apresentar o estudo dos ônibus que irão fazer parte da integração com o sistema do metrô. “Estamos levantando quais linhas irão rodar ali. Nós recebemos há cinco dias um ofício do governo informando que ia começar a operar nesta segunda. Não é possível estruturar a implantação tão rápido assim”, comentou.

Já a Linha 1, que liga a Estação da Lapa à Pirajá, tem funcionado com integração aos ônibus urbanos e metropolitanos desde janeiro. Segundo dados da CCR, o metrô transporta cerca de 40 mil usuários por dia útil e, destes, 40% já fazem a integração. O metrô funciona diariamente das 5h à meia-noite. Atualmente, existem 243 linhas urbanas e 17 linhas metropolitanas que realizam a integração entre ônibus e metrô nesta linha.

RMS ganhará R$ 14 bi em obras de infraestrutura

02/12/2016 - Tribuna da Bahia

O Governo do Estado quer começar 2017 em ritmo de obras e investimentos em infraestrutura e logística, e já em janeiro dá largada ao processo de consolidação do VLT (Veículo Leve sobre Trilho), ao lançar o edital de licitação para a obra. Estão previstos investimentos de R$ 14 bilhões em Salvador e Região Metropolitana em 2017, que incluem além do VLT e metrô, as Avenidas 29 de Março e Gal Costa e melhorias no sistema viário e de infraestrutura urbana dos municípios da RMS.

A perspectivas de investimentos foi feita pelo secretário de Infraestrutura do Estado, Marcus Cavalcanti, durante a realização do IV Fórum de Oportunidades e Investimentos na Bahia, realizado na sede da Federação das Indústrias (Fieb), ontem, numa iniciativa do setor empresarial baiano com vistas a intensificar o relacionamento com empresários de outras regiões do Brasil e de outros países. O evento teve como objetivo criar um ambiente favorável para atrair novos investimentos no Estado, reunindo os principais agentes econômicos nacionais e locais.

Conforme explicou o secretário da Seinfra, as parcerias com a iniciativa privada é o caminho para que obras estruturantes sejam realizadas no estado. Ele citou como exemplo claro a concessão do aeroporto internacional de Salvador, Deputado Luís Eduardo Magalhães, cujo leilão deverá ocorrer em março do próximo ano e o regime de parceria público privada com o Metrô de Salvador, que já está em funcionando na Linha 1 e cuja primeira etapa da Linha 2 vai ser inaugurada na próxima semana.

Para Cavalcanti, na Região Metropolitana de Salvador os investimentos de R$ 14 bilhões previstos serão feitos em parcerias com a classe empresária, no regime de Parceria Público Privada. “O poder público sozinho não tem como bancar grandes investimentos e as parcerias públicas privadas agilizam essas obras. Mas é importante haver a segurança jurídica e menos burocracia para atrair esses investidores”, disse.

A médio prazo

O Plano Plurianual (PPA) do Governo do Estado, que vai até 2019, prevê investimentos da ordem de R$ 95 bilhões, dos quais 80 bilhões são do Tesouro do Estado e R$ 13 bilhões vindos de outras fontes de receitas. Desses recursos, as obras de mobilidade urbana e do sistema viário de Salvador, deverão consumir investimentos de R$ 3,4 bilhões.

O secretário Marcus Cavalcanti explicou que dos R$ 14 bilhões previstos, pelo menos R$ 4 bilhões referem-se aos investimentos nas obras do metrô e do VLT. O VLT, cujos recursos totais deverão chegar a R$ 1 bilhão, deverá ter seu processo iniciado já em 2017, com a audiência pública para abrir o processo de licitação. A obra deverá ser concluída em 2019 e será feita também em regime PPP.

O metrô, que é a obra de maior custo, vai ter a primeira fase da Linha 2 inaugurada na próxima segunda-feira. O governador Rui Costa e o presidente da CCR Metrô Bahia, Luís Valença vão acompanhar o início da operação das estações Acesso Norte 2, Detran e Rodoviária. Essas estações começam a receber passageiros menos de dois anos após a ordem de serviço dada pelo Governo do Estado para início das obras na Linha 2, em fevereiro de 2015.

A previsão é que até maio o corredor de tráfego pela Avenida Paralela seja estendido até o Centro Administrativo e que em 2018 as Linhas 1 e 2 do metrô de Salvador estejam plenamente funcionando. Já prolongamento da Linha1, com 5,5 quilômetros, entre o terminal Pirajá e o bairro de Águas Claras, na BR-324, só deverá ficar pronto ao final de 2019.

No prazo até 2019, como prevê o Plano Plurianual do Estado, os investimentos previstos para as áreas de logística, desenvolvimento urbano e infraestrutura deverão somar R$ 9,4 bilhões. Nessas áreas estão as obras estruturantes e de mobilidade urbana, como o metrô, recuperação e construção de rodovias, implantação do trem metropolitano até Simões Filho, ampliação da linha 3 do metrô (Pirajá/Águas Claras), VLT do Subúrbio e a conclusão das avenidas Gal Costa e 29 de março.

O secretário de Infraestrutura explicou ainda que as o Estado da Bahia avança no regime de concessões, a exemplo do que fez com os aeroportos de Barreiras, Caravelas e Teixeira de Freitas, e Vitória da Conquista, que deverá passar pelo mesmo processo a partir de 2018, juntamente com o de Lençóis.O mesmo deverá acontecer com a nova Estação rodoviária de Salvador, cujo investimento de R$ 100 milhões será feito em regime de PPP. “A remuneração dos investimentos da iniciativa privada é feita com a outorga e a exploração de serviços e cobrança de tarifas”, disse.

Empresários estão otimistas com os investimentos

O leque de investimentos projetados pelo Governo do Estado nos próximos anos é visto com bastante otimismo pela classe empresarial baiana.  A insegurança jurídica e excessiva burocratização, contudo, são fatores que dificultam a atração do capital privado, que mesmo se predispondo a investir, vêm com certas restrições a concretização de projetos.

A avaliação é do vice-presidente da Federação das Indústrias do estado da Bahia (Fieb), Carlos Gantois, que cobra uma definição do cenário político nacional como premissa para atrair investimentos privados em grandes obras públicas. “Não podemos continuar lamentando a crise econômica. É preciso mudar o cenário, mas para isso é preciso que se tenha segurança de investimento. E isso só será possível com uma definição do cenário político para que se possa estabelecer metas econômicas. Tudo isso acrescentado a simplificação do sistema tributário brasileiro e do sistema trabalhista para criar condições especiais e maior produtividade “, disse.

Para o vice-presidente da Fieb, o governo adotar uma gestão mais racional dos recursos públicos, com menos gastos e mais parcerias com o setor empresarial. “As concessões como as do aeroporto e metrô de Salvador são exemplos claro disso, pois o Poder Público não tem recursos para investir e estes recursos estão nas mãos da iniciativa privada”, explica.

Pequenos e médios

Presidente do Conselho Consultivo da Frente Parlamentar das Pequenas, Médias e Microempresas na Bahia, Gantois disse que a entidade pretende apresentar ao governador Rui Costa uma proposta de criação de um estatuto que regulamente essa atividade no estado. O projeto será encaminhado pelo presidente da Frente Parlamentar, deputado Eduardo Sales, e reúne representantes da Federação do Comércio, da Agricultura, Sebrae, CDL Fórum Empresarial Baiano, Associação Comercial e a Fieb.

A ideia, como explicou, é fomentar a interiorização das atividades empresariais e industriais no interior do estado, descentralizando os investimentos e criando condições para a implantação de empreendimentos em pequenas e médias cidades do interior. “Não podemos conceber um estado onde os investimentos sejam concentrados na capital e Região Metropolitana. É preciso implantá-los em para outras regiões”, disse.

domingo, 6 de novembro de 2016

Integração entre metrô e ônibus tem 24 novas linhas a partir deste domingo

06/11/2016 - G1 BA

Outras 59 linhas serão integradas até o final do mês de novembro; confira.

Atualmente, 170 linhas urbanas fazem a conexão nas estações do metrô.

Integração entre ônibus e metrô tem novas 24 linhas (Foto: Daniele Rodrigues/Sedur)
Integração entre ônibus e metrô tem novas 24 linhas (Foto: Daniele Rodrigues/Sedur)

A integração entre metrô e ônibus de Salvador tem 24 linhas de coletivos a partir deste domingo (6), segundo informações da Secretaria de Desenvolvimento Urbanos (Sedur). Até o final deste mês, outras 59 novas linhas de ônibus serão integradas ao metrô da capital baiana nos dias 13 (21 linhas), 20 (21 linhas) e 27 de novembro (17 linhas). Ao todo, 83 novas linhas de coletivos serão integradas ao sistema do metrô.

Até final de novembro, outras 59 linhas farão integração com metrô (Foto: Daniele Rodrigues/Sedur)
Até final de novembro, outras 59 linhas farão integração com metrô (Foto: Daniele Rodrigues/Sedur)

Atualmente, são 170 linhas urbanas integradas ao metrô, que fazem a conexão nos terminais das estações Retiro, Acesso Norte, Lapa e Pirajá, e 19 linhas metropolitanas, que fazem conexão no Retiro, oriundos das cidades de Dias D’Ávila, Mata de São João, Candeias, Simões Filho, Camaçari, Madre de Deus, São Sebastião do Passé e Lauro de Freitas.

O benefício para as urbanas é válido através do uso do cartão do metrô ou do SalvadorCard, por um período de duas horas. O cartão do metrô, vale também para a integração ônibus-ônibus entre linhas já integradas e dentro do intervalo de duas horas. Já para as linhas metropolitanas, a integração é válida com cartão do metrô ou metropasse, por um período de três horas.

De acordo com a secretaria, a Linha 1 do metrô transporta em média, diariamente, 50 mil passageiros, das 5h à 0h.

segunda-feira, 12 de setembro de 2016

Rui Costa defende áreas de estacionamento próximas ao metrô de Salvador

06/09/2016 - Correio da Bahia

Durante visita ao canteiro de obras da Linha 2 do metrô de Salvador na Avenida Paralela, no início da manhã desta terça-feira (6), o governador Rui Costa defendeu que o sistema do metrô comece a pensar na instalação de estacionamentos que facilitem a integração com os carros, principalmente quando o modal chegar em Lauro de Freitas, na região Metropolitana.

“Eu acho que o Plano de estacionamento tem que ser programado, não sei se a própria CCR ou a iniciativa privada e quem tenha interesse de investir nisso. Seriam estacionamentos próximos ou colados nas estações para estimular que as pessoas que queiram ter essa comodidade para usar o metrô possam fazer isso”, afirmou o governador. O petista listou que a retirada de carros da cidade e o aumento de usuários do sistema metroviário seriam os principais benefícios da medida.

Ao governador, a direção da CCR Metro Bahia, que é a concessionária do sistema, contou que ainda está analisado o retorno desse investimento. Eles conversaram sobre a necessidade dessa tarifa de estacionamento ser atrativa. O presidente da CCR Metrô Bahia, Luís Valença, defendeu que o sistema deve ser subsidiado pelo poder público e afirmou que essa deve ser uma das etapas de integração do sistema.

O novo Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano (PDDU) da capital, aprovado no semestre passado, também prevê incentivos para a construção de edifícios-garagem na região do metrô e também facilita que novos empreendimentos na região da Paralela tenham um número menor de garagens.

A visita
Rui foi a Estação Tamburugy, que é uma das 12 que integram a Linha 2 do metrô e fica no canteiro da avenida Paralela, para tomar café da manhã com cerca de 200 operários. Chegou logo no início da manhã no canteiro de obras. O governador contou que o ato o lembrou a época em que trabalhava no Polo de Camaçari e também fazia suas refeições no ‘bandejão’. Durante a visita o governador destacou os postos de trabalho que a chegada do metrô trouxe para a capital.

Rui voltou a garantir o início da operação da Linha 2, no trecho do Acesso Norte até a Rodoviária, até o final do ano. “Em 2017, paulatinamente, a partir da estação de Pernambués vamos entregando as estações (da Paralela)”, acrescentou. Luis Valença informou que as dificuldades de intervenções no trânsito na região de Pernambués e da LIP já foram superadas.

A estação visitada por Rui, que fica próximo ao Shopping Paralela, já tem 44% das obras concluídas e foi considerada uma das mais difíceis do trecho que corta a avenida pelo presidente da CCR Bahia. Segundo ele o terreno é difícil e exigiu o uso de muitas estacas. Na estação, que tem 4.300 metros quadrados e dois andares para passageiros, estão sendo realizados no momento os serviços na estrutura pré-moldada e montagem da cobertura metálica da estação, alvenaria, reboco, pastilha e pintura das salas técnicas e execução do reservatório subterrâneo.

terça-feira, 6 de setembro de 2016

Estação Detran do Metrô é apresentada à imprensa

31/08/2016 - Tribuna da Bahia

Após um incremento de mais de 100% no número de usuários, com a integração ao sistema de ônibus, o Metrô de Salvador está na fase de testes para inaugurar, até o final do ano, as três primeiras estações da Linha 2. A Estação Acesso Norte, que atualmente atende apenas a Linha 1, está completamente concluída. 

A Estação Detran está em fase de acabamento e sinalização e a Estação Rodoviária de conclusão. As estações Acesso Norte e Detran receberam uma visita guiada de profissionais da imprensa, acompanhados do secretário estadual do Desenvolvimento Urbano, Carlos Martins, e do presidente da CCR Metrô Bahia, Luís Valença. 

Segundo Martins, as três estações são o início da Linha 2, que vai percorrer 22 quilômetros, com 12 paradas até o aeroporto. 

“O tramo três, que irá de Pirajá a Águas Claras, teve o processo de licitação aberto e nos próximos 45 dias teremos o vencedor para realizar esta obra. 

Até o final de 2017, nós seremos a única capital brasileira que integra o seu centro até o aeroporto, com um sistema que vai permitir ao soteropolitano pegar um ônibus em qualquer ponto da cidade, pagar apenas uma passagem e ir de forma rápida, segura e confortável para o seu local de trabalho, para o seu lazer”. 

Ponto de ligação entre as duas linhas, a Estação Acesso Norte terá papel fundamental no Sistema Metroviário de Salvador e Lauro de Freitas. Além da nova estação, que será ponto de partida da Linha 2, a área do Acesso Norte conta ainda com a Estação Acesso Norte 1 e o terminal de integração de ônibus – ambos já em funcionamento. 

A Estação Detran corta um dos maiores corredores de tráfego da cidade, a Avenida ACM, e irá garantir mais fluidez à região até a Estação Rodoviária. 
Integração 
Martins defendeu a integração cada vez maior entre ônibus e metrô. “Com a Linha 2 do metrô, todos os ônibus metropolitanos que hoje entram em Salvador pela Avenida Paralela vão deixar de trafegar por ali, estarão concentrados na Estação Mussurunga. Várias linhas neste trecho serão reordenadas, algumas serão extintas, outras criadas, para alimentar o metrô de forma integrada”. 

Segundo ainda o secretário, com o final das obras, a Paralela vai funcionar como uma Via Expressa. “Serão apenas três retornos por meio de viadutos, como era na concepção original. Com isso, o fluxo na avenida vai melhorar e a população terá um sistema de metrô integrado ao ônibus, um sistema de transporte seguro, rápido e de boa qualidade”. 

De acordo com Luis Valença, a integração é um processo gradativo e está sendo muito bem sucedido. “O movimento está crescendo de forma significativa, especialmente por causa da integração que já é plena em Lapa e Piarajá. 

Faltam as estações intermediárias, para as quais há um programa para colocá-las integradas em um prazo curto. Nós partimos de 20 mil para 45 mil passageiros por dia. Temos uma capacidade superior, mas estamos satisfeitos”.