terça-feira, 25 de agosto de 2015

Governo da Bahia adia licitação do VLT

25/08/2015 - A Tarde - BA

Anunciado para o dia 14 deste mês, o lançamento do edital de licitação para as obras do VLT foi adiado. Segundo a assessoria de comunicação da Casa Civil do Estado,  foi preciso fazer alguns ajustes técnicos e, por isso, o prazo foi estendido.

Em entrevista ao A TARDE no início do mês, o secretário da Casa Civil, Bruno Dauster, disse que, após a licitação, as obras iniciariam em cerca de 90 dias.

O projeto prevê a reforma e construção da linha permanente, das paradas, implantação dos sistemas de eletricidade e comunicação e a urbanização da faixa de domínio (margem do trajeto).

O percurso será ampliado - passará a ser entre o Comércio e a Av. São Luís, em Paripe - de 13,5 km para 18,4 km e, posteriormente, para 19,9 km, quando o veículo for até a Estação da Lapa.

Segundo Dauster, na área limítrofe do sistema serão construídas calçadas e vias para ciclistas. As estações também serão reformadas e os prédios serão utilizados para a oferta de serviços à população.

O coordenador de Operações da CTB, Al Mello, adiantou que existe o projeto de implantar um Serviço de Atendimento ao Cidadão (SAC) na estação da Calçada. "Com isso, fazemos a chamada solução 'não transporte'. O cidadão não precisará mais se deslocar para o centro da cidade para fazer documentos", diz.

Controvérsia

O coordenador-geral do movimento Ver de Trem, Gilson Vieira, contesta a forma como o projeto do VLT foi executado. "Esta reforma poderia ser feita de forma sustentável e paulatina, sem que fosse preciso parar o sistema", disse.

Ele lembrou que o atual passou por reforma recentemente, em 2012, e que a manutenção deveria ter sido melhor aproveitada. Gilson diz que  está agendando uma audiência  com a Defensoria Pública do Estado para discutir o caso, no dia 1º de outubro.

O coordenador da ONG também relatou que o projeto do governo não  dialoga com o do Ministério dos Transportes, que pretende estender a ferrovia para Conceição da Feira e Alagoinhas futuramente.

Trens do subúrbio de Salvador resistem à degradação

25/08/2015 - A Tarde - BA

Às 5h45,  enquanto muita gente ainda dorme, Wilson Cruz, 53, realiza a  primeira viagem do dia. Aos olhos do condutor de trens do subúrbio ferroviário de Salvador, na profissão há 26 anos,   o trajeto de 13 km entre a  Calçada e Paripe já não oferece novidade.

Quem faz o percurso pela primeira vez, no entanto,  impressiona-se com o que vê. O passeio transita entre o bucólico e a degradação.

O conserto de barcos na praia, o cozimento a lenha à margem dos trilhos e a vista da baía conferem o clima agradável. Por outro lado,  construções precárias,  lixo amontoado, desmanche de carros,   moradores de rua e a poluição do mar alertam para os problemas.

Na plataforma de embarque da Calçada, uma amostra do maria fumaça  figura entre os novos trens, já não tão novos assim. "Esse aqui é o melhor transporte  do mundo. Não tem quebra-molas, engarrafamento ou poluição. Mas eles preferem o rodoviário. Não dá para   entender!", observa o maquinista, como é popularmente chamado.

Wilson Cruz conta que entrou no ramo por  acaso: "Estava a caminho de uma entrevista de emprego para uma cervejaria, me atrasei e perdi a vaga. Então, vi no jornal A TARDE  que havia um concurso para a área. E aqui estou".

Degradação

Em todo o trajeto, principalmente no trecho até o Lobato, a linha férrea acumula muito entulho. Eletrodomésticos velhos, como fogão, sofá, estante, TV e até geladeira são descartados na margem da ferrovia.

Ao lado do trilho, um monte de barro se acumula, segundo Wilson, oriundo de escavações  para a construção de casas. "O lixo é um problema. Às vezes,  engancha no trem, tem que parar a composição para fazer manutenção. O que prejudica os usuários", conta.

O coordenador de operações da Companhia de Transporte da Bahia (CTB), Al Mello, diz que o acúmulo deve-se à falta de consciência dos moradores do entorno. "Eles sabem que, a cada 15 dias,  fazemos mutirão com o trem, recolhendo  lixo. Por isso, atiram os sacos da frente de casa. Nem se dão ao trabalho de procurar o ponto correto de descarte", diz.

"Não somos uma empresa de limpeza, mas de transporte. Não temos condição  nem é nossa responsabilidade recolher resíduos diariamente", complementa.

Outro problema, relatado pelo passageiro Antônio César, 50, é a insegurança. O aposentado utiliza o trem três vezes por semana para ir ao centro de fisioterapia das Obras Sociais Irmã Dulce, no largo de Roma.

Ele conta que, há dois meses, foi vítima de  assalto dentro de um dos vagões, por volta das 15h. "Dois pivetes entraram e fizeram um arrastão. Um rapaz foi agredido. Não havia segurança. Se  ocorre isso à tarde, imagina à noite", relata.

Al Mello afirma não ter informações sobre a ocorrência de assaltos no TUE (Trem Unidade Elétrica). "É muito difícil ocorrer, porque dispomos de segurança em cada uma das dez estações e em cada trem", diz.

Capacidade

O Sistema de Trens do Subúrbio transporta 15 mil pessoas por dia, com duas composições. Se contasse com quatro trens em circulação, 50 mil passageiros seriam beneficiados diariamente.

O intervalo de espera é 40 minutos, mas, frequentemente, um dos veículos é tirado de circulação e o tempo aumenta para uma hora.

Sem se identificar, funcionários queixaram-se de três trens reformados, que permanecem no galpão sem nunca ter sido utilizados. O coordenador  de operações da CTB explica que os TUEs foram reformados, por uma empresa no Rio de Janeiro, mas continuaram  com defeito. "O caso está na Justiça desde o ano passado. A empresa foi considerada inadimplente", justifica.

quarta-feira, 5 de agosto de 2015

Estação Pirajá do Metrô de Salvador será entregue à população em setembro

04/08/2015 - Tribuna da Bahia

Metrô de Salvador 

Os usuários vão poder fazer o deslocamento entre a Lapa e a sétima estação, que inicialmente deveria ser entregue entre junho e julho, em aproximadamente 20 minutos, a partir do próximo mês. Com o novo equipamento público, em fase de conclusão, a Linha 1 do metrô passará a atender um público usuário de cerca de 100 mil moradores, habitantes de bairros como São Caetano, Pirajá e Marechal Rondon, entre outros. Estão previstas a construção de mais duas estações na mesma linha: Brasilgás e Águas Claras/Cajazeiras. 

Nelson Rocha - TB 

foto -  Daniele Rodrigues / Ascom Sedur 

Depois de ter ganhado, em 23 abril, durante solenidade que contou com as presenças do governador Rui e do ministro da Cidades, Gilberto Kassab, a estação de metrô Bom Juá, a população de Salvador pode se preparar para usar o sistema a partir da Estação Pirajá em setembro, conforme adiantou para a Tribuna ontem, através de sua assessoria de Comunicação, o secretário de desenvolvimento Urbano do governo do Estado, Carlos Martins. 

Os usuários vão poder fazer o deslocamento entre a Lapa e a sétima estação, que inicialmente deveria ser entregue entre junho e julho, em aproximadamente 20 minutos, a partir do próximo mês. Com o novo equipamento público, em fase de conclusão, a Linha 1 do metrô passará a atender um público usuário de cerca de 100 mil moradores, habitantes de bairros como São Caetano, Pirajá e Marechal Rondon, entre outros. Estão previstas a construção de mais duas estações na mesma linha: Brasilgás e Águas Claras/Cajazeiras. 

O Complexo Pirajá terá, além da estação metroviária, a oficina de manutenção e lavagem de trens, o Centro de Controle Operacional (CC)) das linhas 1 e 2 e o prédio administrativo do complexo metroviário, declarou o secretário. As definições da data exata da inauguração da nova estação, o horário de funcionamento, bem como se dará a integração com os ônibus urbanos e metropolitanos estão em fase de estudo e negociação. 

As estações Bonocô e Detran, da linha 2, devem ficar prontas ainda esse ano, prevê Carlos Martins. O secretário também informou que a gratuidade do sistema de transporte será até outubro quando, logo após a inauguração da Estação Pirajá, as passagens passarão a ser vendidas nas bilheterias das estações. 

Quanto as obras da linha 2, que levará o metrô do Acesso Norte até Lauro de Freitas, e que teve a ordem de serviço assinada em fevereiro desse ano. Estas seguem em ritmo acelerado. A previsão é que metrô chegue até Lauro de Freitas no final de 2017, disse. Portanto, dentro de mais dois anos Salvador terá 41 km de extensão de metrô em pleno funcionamento. 

As obras do metrô prosseguem com investimentos feitos a partir de empréstimos tomados pela CCR Bahia, empresa da iniciativa privada que administra o equipamento em Salvador. 

Estrutura 

A futura Estação Pirajá será moderna e confortável e segue os padrões de acessibilidade com rampas, elevadores e escadas rolantes, piso-tátil e sinalização-tátil nos corrimãos das escadas, sanitários públicos feminino, masculino e adaptado para pessoa com deficiência. As linhas 1 e 2 do metrô têm investimento total de R$ 3,6 bilhões do Governo do Estado, Governo Federal e concessionária CCR Metrô Bahia. 

Fonte - Tribuna da Bahia  04/08/2015

Cobrança do metrô de Salvador deve começar em outubro, diz governo

05/08/2015 - G1

Prevista para o ano passado, a operação comercial do metrô de Salvador só vai acontecer em outubro deste ano, de acordo com o secretário de Desenvolvimento Urbano da Bahia, Carlos Martins. Ele informa que a definição da data para o começo da cobrança depende da conclusão das obras da Estação Pirajá. "Isso depende das questões finais da obra e de acordos com os sistemas de ônibus de Salvador e da Região Metropolitana", explicou, em entrevista ao G1.

Com a inauguração da Estação Pirajá, o trecho da Lapa - Bom Juá entrará em operação comercial e o trecho Bom Juá - Pirajá vai iniciar a operação assistida. O secretário afirma que a negociação para a operação comercial do metrô com as empresas de transporte metropolitano está em fase final. 

 "Estamos com os acordos fechados. Todos os ônibus da Região Metropolitana com destino à estação da Lapa terão ponto final em Pirajá. Já aqueles com destino ao Terminal da França e da Calçada continuam com o percurso atual, sem interferência", diz Carlos Martins.

Já o acordo com o sistema de ônibus de Salvador está atrasado, de acordo com o secretário. O titular da Sedur diz que as conversas com as empresas de ônibus são feitas pelo governo, com a participação da prefeitura de Salvador. "Nosso objetivo é buscar um entendimento comum para todas as partes", defende.

Integração

No dia 11 de junho deste ano, Carlos Martins havia divulgado que a integração do metrô iria começar em 30 ou 40 dias, mas até esta terça-feira não foi iniciada. O valor da tarifa de integração dos sistemas de ônibus e metrô ainda não foi definida. "Não estabelecemos um limite de valor de tarifa", afirma.

De acordo com o secretário, com a operação comercial, o usuário do sistema metropolitano vai poder usar o cartão no metrô de Salvador. O início da operação comercial foi previsto inicialmente para setembro e depois para outubro de 2014. Segundo o governo, a medida foi adiada por conta da falta de acordo com os sistemas de ônibus.

Edital do VLT de Salvador será lançado em agosto

31/07/2015 -  Governo da Bahia

O edital de licitação para a implantação do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT), que vai ligar o Subúrbio Ferroviário de Salvador ao bairro do Comércio, será publicado no mês de agosto e beneficiará mais de 1,5 milhão de pessoas. O anúncio foi feito nesta sexta-feira (31) pelo secretário da Casa Civil, Bruno Dauster, durante evento, em que foram apresentados os detalhes do projeto de construção do equipamento a representantes das empresas, realizado no Hotel São Salvador. 

O presidente da Companhia de Transportes da Bahia (CTB), Eduardo Copello, também participou do encontro, acompanhado de equipe técnica da Secretaria de Desenvolvimento Urbano do Estado (Sedur) e da CTB. O encontro permitiu ao empresariado tirar dúvidas sobre o projeto. O VLT, que vai substituir o atual Trem do Subúrbio, terá 18,5 quilômetros de extensão e 21 estações. A licitação prevê intervenções em duas fases - a primeira, entre o Comércio e Plataforma, com 9,4 quilômetros, e a segunda, entre Plataforma e São Luiz, com nove quilômetros. O investimento está orçado em R$ 1,1 bilhão. 

Conforto e segurança 

Bruno Dauster destacou que o VLT faz parte do conjunto de intervenções que o governo estadual vem realizando pela melhoria da mobilidade urbana de Salvador. "Estamos investindo pesado na construção de transportes públicos de massa sobre trilhos, como o metrô e o VLT, que se conectam em alguns pontos. A ideia é prever ainda a integração tarifária com metrô e ônibus. Nosso compromisso é dar aos soteropolitanos a mobilidade urbana que merecem, com celeridade, conforto e segurança. Futuramente vamos expandir o projeto e implantar o VLT metropolitano, integrado a cidades do entorno, como Simões Filho e Candeias". 

As atuais estações serão demolidas para dar lugar a novas estruturas mais simples, modernas e dentro das normas internacionais de acessibilidade. "Esse VLT vai trazer uma grande melhoria na estrutura de transporte do Subúrbio, Cidade Baixa e região do Comércio. Será um sistema que dará conforto e segurança, além de reduzir o tempo de viagem dos usuários", disse Eduardo Copello.


Metrô de Salvador começa a cobrar tarifa em outubro

03/08/2015 - A Tarde

O secretário de Desenvolvimento Urbano da Bahia, Carlos Martins, confirmou, nesta segunda-feira, 3, que o metrô de Salvador entrará em operação comercial (com cobrança de tarifa) no mês de outubro. 

O início da nova fase de operação, segundo Martins, está condicionado à inauguração da Estação Pirajá do sistema metroviário - marcada para setembro, de acordo com a CCR Metrô Bahia, concessionária do modal de transporte urbano. 

Sem valor de tarifa definido para as integrações urbanas e metropolitanas, pelo menos uma decisão já foi tomada, segundo a assessoria de comunicação da Sedur: os ônibus que saem das cidades da Grande Salvador para a capital terão a Estação Retiro como destino final. A partir dali o passageiro terá que usar o modal sobre trilhos para seguir caminho. 

O que não está definido é o valor da tarifa nem quanto custará a integração com os ônibus de Salvador e dos municípios vizinhos. 

Pontos sensíveis 

Apesar de dizer que "a cobrança do metrô não precisa da prefeitura", o secretário Carlos Martins garantiu, via assessoria, que "o governo trabalha apenas com a possibilidade de um acordo pleno, que envolva a prefeitura municipal de Salvador". 

Ele descarta, portanto, o uso de ônibus da CCR para promover a integração. Essa possibilidade está prevista no contrato que transferiu o metrô da prefeitura para o governo estadual e chegou a ser cogitada na gestão do ex-governador Jaques Wagner, quando Manuel Ribeiro ocupou o lugar de Martins. 

"Nós só precisamos de um acordo com as empresas de ônibus. Com os [empresários] metropolitanos já estamos fechando um acordo. E agora estamos discutindo com os ônibus urbanos", explicou o atual secretário.

quinta-feira, 23 de julho de 2015

Integração com metrô fará com que ônibus metropolitanos não circulem mais em Salvador

23/07/2015 - Bahia Notícias - Salvador/BA

Se os tões ficassem abertos não resolveria o problema, arrancar os mesmos é ato de truculência, arrogância, prepotência e fim um ato ditatorial, e olhe que o governo e dos trabalhadores, e a pensar que esse pessoal de hoje, chamavam ACM de truculento, fom

Integração com metrô fará com que ônibus metropolitanos não circulem mais em Salvador
Integração com metrô fará com que ônibus metropolitanos não circulem mais em Salvador
Foto: Rodrigo Vieira / Ônibus Brasil

Os ônibus metropolitanos que circulam pelas ruas de Salvador devem ser extintos quando a linha 2 do Metrô de Salvador estiver em pleno funcionamento. De acordo com o secretário de Mobilidade da capital baiana, Fábio Mota, a decisão de retirar as 652 linhas foi tomada pela Agerba e bem recebida pela administração municipal. "Sem esses ônibus, a mobilidade na cidade deve melhorar. Consideramos a decisão acertada", afirmou, em entrevista ao Bahia Notícias, nesta terça-feira (22). Ainda de acordo com Mota, os ônibus que forem oriundos da BR-324 farão integração com o metrô na Estação Pirajá. Já os que vierem do Litoral Norte, farão a ligação com Estação Mussurunga.


Obras do Metrô na Estação Pirajá | Foto: Divulgação/ Sedur

Contatada pelo Bahia Notícias, a Agerba disse que, junto com a Secretaria de Desenvolvimento Urbano da Bahia (Sedur) e Secretaria de Infraestrutura (Seinfra), faz a avaliação desta distribuição. "No tempo certo faremos essa segregação", explicou o diretor da Agerba, Eduardo Pessôa, ao completar: "estamos estudando também os ônibus que vão para o Aquidabã. Estes devem fazer a integração com o metrô por lT. Alvo de audiência entre o governador Rui Costa (PT) e o prefeito de Salvador ACM Neto (DEM), o preço da integração ainda não foi decidido e, segundo Pessôa, deve sair até setembro – quando a CCR pretende entregar a unidade do metrô da Estação Pirajá. De acordo com o cronograma de obras da CCR, a linha 2 do metrô – que vai do Acesso Norte até o município de Lauro de Freitas – deve ficar pronta até 2017. O prazo para entrega do trecho da Estação Mussurunga não foi informado pela empresa.